Na semana passada a jovem de 22 anos Suzam Paola Fadel desapareceu. Os pais informaram que o fato aconteceu durante a noite do dia 26 de junho, logo após ela ter saído de uma academia no bairro do Marco, em Belém.

Amigos e parentes logo iniciaram uma campanha via redes sociais para encontrar a jovem, mas um detalhe deu margem a suspeita: a , então, vítima desapareceu um dia antes da data marcada para apresentar o Trabalho de Conclusão de Curso de Pedagogia, em uma faculdade particular da cidade.

Já no dia seguinte a jovem reapareceu, contando que os bandidos a teriam liberado depois da grande repercussão que o caso teve na mídia. A versão simplista do crime deu margem a suspeita de que tudo não passou de uma mentira da jovem.


Suzam Paola presta depoimento ao Delegado Gilvandro Furtado na Divisão de Homicídios da Polícia Civil

Nesta segunda-feira (2), o delegado Gilvandro Furtado, da Divisão de Homicídios, informou à imprensa que o caso foi realmente inventado. 'Ela confessou em depoimento hoje que realmente fugiu, pois não tinha condições de apresentar o trabalho naquele dia. Contou que já havia sido reprovada no semestre anterior e que a relação com a mãe não estava nada boa', contou o delegado.

Ainda sobre o dia do 'sequestro', Paola contou que ficou na casa de um amigo durante todo o tempo e quando saiu do local pegou um táxi para ir a um shopping localizado na BR-316, mas foi assaltada. 'Depois do assalto ela informou que andou por umas ruas próximas a esse shopping e foi quando encontrou outro amigo, que a levou para casa', explicou o delegado Gilvandro.


Paola Fadel agora deverá responder por falsa comunicação de crime, com pena que pode variar entre um a seis meses de detenção.