sexta-feira, 30 de março de 2012

Pesquisa com 13 milhões de pessoas revela relação entre infidelidade e signos




Dois signos complexos, duais, sonhadores e instáveis lideram o ranking da infidelidade divulgado pelo maior site de relacionamentos extraconjugais do mundo, o AshleyMadison.com. Essa foi a conclusão da pesquisa feita com base nos mais de 13 milhões de usuários cadastrados no site, que pôde identificar quais são os signos do zodíaco que mais utilizam seus serviços.

Na ala masculina, os piscianos se destacam como os mais infiéis, com 17% de usuários cadastrados pertencentes a este signo. Segundo a pesquisa, a instabilidade característica de peixes e seu perfil afetuoso são determinantes na hora de buscar uma aventura.

— O Pisciano é emocional, instável, carente e se apaixona com facilidade. Possui uma capacidade infinita de amar e ser amado, o que leva à necessidade de querer sempre mais. Por isso, se não tiver tudo o que deseja, nem uma parceira que possa receber tudo o que ele tem a oferecer, talvez o pisciano procure outras possibilidades. Sedutor, romântico e carismático, pode levar uma vida paralela sem que sua parceira se dê conta — declara Titi Vidal, astróloga que escreve sobre relacionamentos há mais de 10 anos.

Já entre as mulheres, 20% das cadastradas no AshleyMadison.com pertencem ao signo de Gêmeos, revelando que sua personalidade inquieta, sua capacidade de comunicação e aversão à rotina realmente potencializam o desejo de trair.

— O fato é que as geminianas precisam de novidade constantemente e são muito curiosas. Sempre pensam como seria se tivessem seguido outro caminho e, por isso, podem desejar experimentar outras possibilidades. Isso acontece especialmente se a geminiana não tiver todo estímulo e excitação que demanda do seu parceiro. Além disso, geminianas sabem conciliar situações diferentes ao mesmo tempo com maestria, sem ninguém perceber — afirma Titi Vidal.

Com o levantamento, o site alega que realmente existe uma relação entre os signos do zodíaco e a propensão à traição.

— Conseguimos descobrir um dado que astrólogo algum jamais conseguiu de forma tão assertiva, pois usamos uma base com 13 milhões de pessoas infiéis cadastradas no nosso site. O que estamos revelando é algo totalmente novo, e que causará uma mudança definitiva na forma como as pessoas se relacionam e enxergam seus parceiros — diz Eduardo Borges, representante do AshleyMadison.com no Brasil.

Eles não servem como amantes

Se a ideia é ter um caso com uma taurina ou escorpiano... saiba que será muito difícil! Eles são totalmente avessos a esse tipo de relação – o que fica claro na pesquisa.

Entre os homens, apenas 3% dos usuários do site são de Escorpião.

— Eles são leais e fieis, mas também são muito sexuais e precisam disso para que a relação se mantenha estável. Uma hipótese para poucos escorpianos cadastrados no site também é seu lado misterioso e sua habilidade de agir em segredo. De qualquer forma, se dá melhor com mulheres mais estáveis — comenta Titi.
Já as Taurinas, com apenas 1% do número de inscritas no AshleyMadison.com, representam o signo mais fiel de todo o zodíaco.

— Taurinas precisam de segurança, estabilidade, gostam de cuidar da casa, preservar a família e a relação. São ciumentas e possessivas, o que faz com quem estejam sempre conectadas com seu parceiro. Além disso, são mais acomodadas — analisa a astróloga.

Para a astróloga Titi Vidal, é importante ressaltar que o que determina a traição é todo o conjunto do mapa astrológico, mesmo que o signo solar aponte um maior potencial para alguns signos.

— Os signos mais inquietos, instáveis e que não gostam de rotina são os mais propensos à traição. Até porque são mutáveis, flexíveis e não têm medo de mudar. De qualquer forma, é bom lembrar que independente do signo, se a pessoa tiver tudo que precisa de um único parceiro, ela será fiel e feliz neste relacionamento — afirma.

O AshelyMadison.com é o primeiro e maior site de relacionamentos extraconjugais do mundo, está presente em 19 países, conta com mais de 13 milhões de usuários cadastrados. No Brasil, o site tem mais de 360 mil usuários cadastrados.

quinta-feira, 29 de março de 2012

Veja os Argumentos da Deputada Míriam:

  • Ânus não é vagina; (NÃO ME DIGA!)
  • Os coliformes fecais podem fazer o pênis do parceiro cair;
  • A mulher que dá o ânus está dando autorização ao encosto do homossexualismo e da prostituição em sua casa, na vida de seu marido;
  • Pode te deixar paraplégica;

  • Não se engravida pelo ânus; (brilhante, deputada, nunca pensei nisso)

  • Pode perfurar os seus órgãos;

  • Não agrada o coração do Senhor;

  • Sai pedaço de milho.

Os melhores vilões são aqueles, que conquistam a empatia do público tanto quanto o mocinho, ou muitas vezes mais, veja a lista das melhores vilãs das novelas.

Flora (A Favorita - 2009)

No começo da novela, Flora (Patrícia Pillar) parecia uma típica heroína injustiçada(algo bem inovador em uma novela). Após fazer sucesso na dupla sertaneja "Faísca e Espoleta", ela é presa, acusada da morte de Marcelo, seu amante e marido de sua parceira musical, Donatela (Claudia Raia). Mas no meio da trama, uma reviravolta acontece e é revelado que Flora era na verdade uma psicopata.
A partir deste momento, a vilã começou a exibir o seu leque de maldades. Obcecada por Donatela, ela transformou a vida da rival em um verdadeiro inferno. Também cometeu assassinato atrás de assassinato. Por fim, tentou voltar para o mundo da música em carreira-solo. Em uma cena antológica, Flora obriga a plateia de seu show a cantar com ela o hit "Beijinho doce". Mas não deu certo. Faísca sempre teve mais voz que Espoleta. Sem Dúvida uma das maiores vilãs de todos os tempos, para muitos a mais carismática e malvada.

Nazaré Tedesco (Senhora do Destino - 2004)

Nazaré (Renata Sorrah) fez por merecer o título de vilã mais malvada das novelas. A personagem era capaz de cometer atrocidades para conseguir o que queria. Para arrumar um casamento ela sequestrou Lindalva (Carolina Dieckamnn), filha da protagonista Maria do Carmo (Susana Vieira), e fingiu que a menina era sua filha legítima. Ao descobrir a verdade, seu marido foi brutalmente assassinado: Nazaré o empurrou do alto de uma escada para manter seu segredo a salvo.
Ninguém escapava de suas crueldades: ela cometeu outros assassinatos, fingiu ser paralítica e atormentou grande parte do elenco da trama. Como toda vilã que se preze teve uma morte tão grandiosa quanto suas maldades: morreu ao se jogar de uma ponte de mais de 90 metros de altura.

Laura Prudente(Celebridade - 2003)

A invejosa Laura (Claudia Abreu) se aproximou da bem-sucedida empresária Maria Clara Diniz (Malu Mader) dizendo ser uma fã. Na verdade, ela queria destruir a rival e tomar o seu lugar. O maior parceiro da vilã nas tramóias era Marcos (Márcio Garcia), seu amante e cúmplice. A "cachorra" e o "michê", como eles se chamavam, formaram uma dupla que foi sucesso de público. A cena em que Maria Clara dava uma surra em Laura bateu recordes de audiência.

Bia Falcão (Belíssima - 2005 )

Bia (Fernanda Montenegro) era uma mulher totalmente intolerante e que adorava interferir nos relacionamentos dos netos Júlia (Glória Pires) e Pedro (Henri Castelli). Não poupava maldades para separar os netos de pessoas de classes sociais que ela considerava inferiores, pois não cansava de dizer que "pobreza pega". Bia foi capaz de forjar a própria morte e armar diversos atentados contra Vitória (Cláudia Abreu), viúva de Pedro. Sem sucesso, ela ainda sequestrou a própria bisneta. Mas Bia não foi parar atrás das grades. A ricaça fugiu para Paris com o jovem Mateus (Cauã Reymond) e suas maldades ficaram impunes.

Tereza Cristina (Fina Estampa - 2011)

A vilã começou a novela, como uma rica mimada, que tinha tudo que queria. Aos poucos foi mostrando sua maldade ao cometer junto com ferdinand vários assassinatos, e tentativas de infernizar sua arqui inimiga Griselda. Com seu jeito Louca, conquistou a simpatia do público com toda sua arrogância, com seus segredos foi a responsável por gerar muita espectativa no tele-espectador, e também muita frustração mas isso nao apaga o brilho dessa grande vilã.

Marta Toledo (Páginas da Vida - 2006)

Quem diria que a nossa doce Lília Cabral, fez uma vilã cheia de amargura e arrogância , Dominadora, controlava a vida do marido e dos filhos e assumia uma postura muito intransigente. Mandou sua filha Nanda (Fernanda Vasconcellos) para estudar fora do país e se revoltou ao saber que a jovem engravidou. Nanda morreu no parto dos gêmeos, mas a perda da filha não foi o suficiente para amolecer o coração da megera. Ao descobrir que a menina era portadora da Síndrome de Down, Marta ficou apenas com o menino e encaminhou a própria neta para a adoção.

Sílvia Barreto (Duas Caras - 2007)

Silvia (Alinne Moraes) era uma psicopata à beira da loucura. A jovem, mimada e controladora, era apaixonada pelo empresário Ferraço (Dalton Vigh), por quem sentia um ciúme doentio. Mesmo descobrindo que seu noivo era um golpista que havia roubado todos os bens da ex-mulher, Silvia nutria por ele um amor obsessivo. Para estragar a festa de aniversário do enteado, de quem morria de ciúme, ela se atirou de uma escada e depois ainda tentou matar o menino afogado. Para escapar da prisão a jovem fugiu para a França com um milionário e ainda levou o motorista/amante à tiracolo. A vilã podia ser completamente desequilibrada, mas não era nada boba.

Paola Bracho (A Usurpadora - 1999)

Nem só de rede Globo é feita nossa lista; Paola (Gabriela Spanic) era uma vilã para ninguém botar defeito. Sua risada maquiavélica sempre anunciava mais uma de suas maldades. Ao descobrir que tinha uma irmã gêmea a megera não pensou duas vezes: chantageou a própria irmã para que assumisse seu lugar enquanto ela viajava pelo mundo gastando o dinheiro do marido, Carlos Daniel (Fernando Colunga). Paola colecionava amantes e não tinha escrúpulos para conseguir o que queria: comprava os enteados com presentes, embebedava a pobre Vovó Piedade (Liberdad Lamarque) e subornava os empregados da casa para esconder suas mentiras. Uma vilã e tanto!


Fonte: http://mdemulher.abril.com.br (parte de conteúdo não sua totalidade)
segunda-feira, 26 de março de 2012


10 - Lost

Assim que o seriado Lost começou a ser exibido, em 2004, uma legião de fãs enlouquecidos e ávidos por respostas começaram a ganhar forma. A cada episódio, mais perguntas iam se acumulando e menos resoluções apareciam. Parecia que tudo ia ficar para o fim. E ficou. Mas, no desfecho, em maio deste ano, os criadores perceberam que seria impossível esclarecer tudo – mesmo com as 2h30 de duração do último episódio, após seis temporadas.
Foram tantos flashbacks e referências a capítulos anteriores que os telespectadores não conseguiram sequer entender a primeira de todas as perguntas: o que era a tal ilha, afinal? Cada um que pense na sua resposta.

9 - Pecado Capital

Em uma novela normal, não importa em qual fria o personagem principal se meta, ele sempre vai sobreviver. Essa é uma certeza que o telespectador pode ter. Pelo menos, até o último capítulo de Pecado Capital. Até dá para relevar o fato de que o taxista Carlão não era nenhum santo – muito ao contrário, afinal, qualquer semelhança da ambição do personagem com o título não é mera coincidência. Ainda assim, matar o mocinho com um tiro nas costas, abraçado a uma mala cheia de dinheiro, é um exagero – criado na versão original, em 1975, e repetido no remake de 1998.

8 - The O.C.

Casamentos (sim, no plural), despedidas e passagens de tempo. Não, isso não é mais um batido final de novela. Na verdade, essa é a maneira como se pode resumir o último episódio da série The O.C. – que no Brasil ganhou o título de Um Estranho no Paraíso. Tudo bem que a série vinha sofrendo uma vertiginosa queda de audiência desde a morte (na 3ª temporada) de Marissa Cooper, uma das principais personagens. Mas os produtores não precisavam ter jogado a toalha antes de colocar o ponto final na série, que foi exibida de 2003 a 2007, em quatro temporadas.

7 - Paraíso Tropical

Se um autor decide criar um mistério na metade de uma novela para só decifrá-la no final, é melhor que o suspense valha a pena – sob pena de ter boa parte de telespectadores revoltados por esperar tanto para nada. Pois foi exatamente assim que muitos se sentiram no último capítulo de Paraíso Tropical. Depois de fazer o público reviver o clima de tensão atiçado por Vale Tudo e A Próxima Vítima, qual não foi a decepção ao constatar que o assassino da gêmea má Taís era o mais óbvio de todos? O impagável vilão Olavo.

6 - 24 Horas

Jack Bauer finalmente parou de correr contra o relógio. Mas muita gente nem se deu conta de que a série chegou ao fim, porque o último episódio poderia muito bem ser qualquer um de qualquer temporada. Não tinha cara de final, nem parecia que o agente nunca mais teria uma missão. Há quem diga que uma das razões tenha sido o fato de que o seriado já estava fazendo hora extra – no ar desde 2001 – e deveria ter sido encerrada antes. Mas também não precisava ter deixado tudo tão no ar, a ponto de o personagem principal simplesmente desaparecer.

5 - Everwood

Quando você descobre que sua série ainda tem muitas histórias para amarrar, inúmeros casais a juntar e só te resta um único capítulo, no fim da quarta e última temporada, de duas uma: ou você simplesmente ignora alguns personagens, ou começa uma corrida desenfreada para conseguir dar conta de tudo o que não conseguiu em quatro anos (de 2002 a 2006). Os produtores de Everwood ficaram com a segunda opção e exigiram do público muita atenção para não perder nada importante – o que poderia acontecer em um simples piscar de olhos. No fim, basta saber que quase todos os casais ficaram juntos. E Amy sela seu final feliz ao lado de Ephram levando nada menos do que uma roda gigante para a frente da casa dele.

4 - Caminho das Índias

O Marrocos virou Índia, Jade passou a ser Maya, “Inshallah” ganhou formas de “Are Baba” e O Clone se viu reproduzido nas telinhas por Caminho das Índias (2009). Mas ainda que a história não tenha desapontado tanto, o final da novela não deixou por menos. É compreensível que o candidato a protagonista e mocinho Bahuan seja um pouco escanteado depois que o público mostrou pouca simpatia por ele, mas precisava tirar qualquer referência a ele no último capítulo? E o que foi o reencontro de Maya e Raj? Enquanto caminham um em direção ao outro, as roupas básicas rapidamente se transformam em ricas vestimentas de festa, e ela ganha brincos e maquiagem à altura. Fantasia demais, até para o Oriente.

3 - Will and Grace

Pode uma série que arrancou gargalhadas dos telepectadores ao longo de oito temporadas (de 1998 a 2006) terminar com um episódio depressivo e sem graça? Poder não pode, mas foi exatamente isso que fizeram com Will and Grace. Os amigos inseparáveis desde o momento em que se conheceram ficam anos separados, vivendo suas vidas ao lado de outras pessoas e tendo filhos. Aliás, se não fosse por esses filhos, eles nunca voltariam a se ver – o reencontro acontece quando eles estão ajudando os jovens a se mudar para a faculdade e descobrem que eles vão estudar no mesmo lugar. Mas isso só se viu nos últimos minutos do especial de uma hora – e apenas quem teve paciência de acompanhar a chata história até o fim.

2 - A Favorita

O autor de A Favorita (2008) decidiu ousar e dar ares de final de novela em um capítulo lá pela metade da trama. O resultado – como qualquer produção que chega ao seu clímax – foi começar o inevitável caminho da decadência. O problema é que ainda tinha mais meia novela pela frente. E depois de tanto se arrastar, ele precisou criar um outro final – dessa vez, de verdade. Nessa hora, não conseguiu sair dos clichês de casais apaixonados felizes para sempre e vilões pagando por todas as suas armações. Como se não bastasse, ainda veio a cena final: Flora, ainda criança, dizendo à então melhor amiga Donatela: “Você é a minha favorita”. Totalmente dispensável.

1 - Fina Estampa

O desenrolar da história de Griselda, começou muito bem, porém para muitos tele espectadores, Griselda depois de ficar rica, perdeu seu carisma e simpatia. Em um Final que não poderia ser pior, no qual personagens importantes foram esquecidos, e o que todos esperavam a grande revelação de quem seria o amante de Crô, não aconteceu, o escritor Trollou os tele-espectadores e deixou na imaginação de quem poderia ser.
Não bastasse isso, no fim aparece Teresa Cristina viva morena, rindo da cara de Griselda, e claro do tele-espectador que gastou meses assistindo a novela, para ver um final ridículo desses.


Fonte:(parte do Conteúdo) http://veja.abril.com.br/
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Total de Visitantes

Ocorreu um erro neste gadget

Sessões

Postagens populares

Arquivo

Agregadores